AJUDA DE EMERGÊNCIA

SOS Burquina Fasso

Há países onde a violência contra os Cristãos é atroz, mas infelizmente não é notícia na televisão. É o caso do Burquina Fasso, onde a vida de milhares de pessoas ficou praticamente paralisada pela ameaça real de grupos jihadistas que querem estabelecer um califado islâmico na região e que, aos poucos, vão submetendo a sociedade às suas regras, às suas imposições. Onde havia paz, agora há terror…

Desde 2019, quase um milhão de pessoas foram obrigadas a abandonar as suas casas. Os poucos locais seguros que ainda são habitados abrigam milhares de refugiados internos, despojados de todos os seus bens e da sua dignidade. A missão da Igreja também passa por aqui: ficar junto do povo, disponibilizar meios de sobrevivência e impedir que estas famílias cedam ao desespero.

A sua ajuda concreta

A Igreja local pretende criar dois campos de deslocados, Kongoussi e Séguénéga, que acolherão cerca de 900 cristãos de 24 aldeias atacadas pelos jihadistas, garantindo ajuda de subsistência e um acompanhamento espiritual que lhes devolverá a confiança e as bases para um diálogo pacífico para o futuro.

Por exemplo, pelo preço de um café, cerca de 65 cêntimos, é possível dar educação durante um mês a uma criança cristã que vive num dos vários campos de deslocados internos no Burquina Fasso. Este é apenas um exemplo do desafio que a Fundação AIS lança aos portugueses para se aliviar o sofrimento de uma comunidade religiosa ameaçada por diversos grupos jihadistas que actuam impunemente na região do Sahel, em África…

APOIO ESPIRITUAL

» 30€/ mês permite acompanhar 10 pessoas

Criação de um centro de oração e meditação da Palavra de Deus para aprofundar a fé católica.

16.100€ durante 6 meses

EDUCAÇÃO

» 65€ / mês permite o acesso ao ensino a 100 crianças

Assegurar a continuidade da educação de todas as crianças cristãs deslocadas.

3.900€ durante 6 meses

CUIDADOS DE SAÚDE

» 153€/ mês permite cuidar de 180 doentes

Dar assistência médica aos deslocados doentes.

4.600€ durante 6 meses

ALIMENTAÇÃO

» 481€/ mês permite alimentar 26 famílias

Fornecer utensílios e bens alimentares.

24.860€ durante 6 meses

A sua ajuda é essencial para a sobrevivência deste povo

É preciso muita coragem para resistir, como nos explicou o Padre Wenceslau Belem. Este sacerdote fala de um país onde, desde os primeiros ataques, em 2015, os Cristãos vivem amordaçados, sem liberdade, sujeitos a uma violência brutal por parte de grupos jihadistas que querem impor o Islão como a única religião. “Desde que o terror começou, mais de 2 mil escolas foram encerradas. Atacam escolas que transformam em escolas corânicas; atacam igrejas católicas, matando ou raptando padres, religiosas e leigos; e querem impor que todas as mulheres cubram o rosto, independentemente da sua religião. Muitas raparigas cristãs têm de ir à escola com o véu para evitarem ser marcadas, caluniadas, espancadas ou mesmo raptadas. Aos Domingos e dias de festa, a polícia, os militares ou voluntários cercam as igrejas para que possamos rezar e celebrar a Santa Missa sem perigo.”

A situação no terreno é dramática. Contrariar a ameaça jihadista requer coragem e até imaginação. “Quando vemos enfermeiras católicas que se confiam à misericórdia de Deus, se disfarçam de muçulmanas e vão às aldeias, atravessando zonas perigosas, passando por terroristas para salvar vidas, para cuidar de pessoas doentes que não puderam fugir, é encorajador e dizemos que é Deus quem salva.”

A sua ajuda é essencial para a sobrevivência deste povo

 O Burkina Fasso é um país que caiu nas malhas do terror jihadista que já galgou fronteiras e que acontece também no Mali, Níger ou Benim, por exemplo. A maioria da população do Burquina Fasso é muçulmana, cerca de 60%. Os católicos são menos de metade [cerca de 19%], e cada vez mais são forçados a assistir à Missa através da rádio, pois o acesso às igrejas, às paróquias pode ser já quase impossível. Na foto, uma família de deslocados ouve a Missa pela rádio.

Agora, com a rádio diocesana transmitimos a Missa e damos catequese. Hoje em dia, no Burquina, há mais de 4.600 escolas encerradas, muitas paróquias fechadas e mais de 1.700.000 deslocados internos.”

O testemunho deste sacerdote ficou marcado também pela história do Padre Jacques Yaro Zerbo, assassinado no dia 2 de Janeiro deste ano. Morreu quando se dirigia para uma aldeia para o funeral de um catequista. “No caminho, os terroristas detiveram-no. Conhecendo-o e sabendo que devido à sua fé católica ele não se deixava intimidar, levaram-no a poucos metros da capela da aldeia, mataram-no a tiro e foram-se embora com o seu carro. Os cristãos ouviram o barulho, foram ver e descobriram que era o Pe. Jacques Zerbo.”

Tal como com este sacerdote, que “deu a vida por permanecer fiel a Cristo”, a Igreja do Burquina Fasso começa a ser um viveiro de mártires. “Em Março de 2019, o Pe. Joel Yougbare, pároco de Djibo na Diocese de Dori, foi raptado e não temos notícias dele até hoje; em Maio do mesmo ano, o vigário paroquial Simeon Yampa e outros cinco paroquianos foram assassinados durante uma Missa dominical. Em 2021, outro sacerdote, Rodrigues Sanou, e um sacerdote missionário espanhol, Antonio Cesar Fernandez, também foram mortos. Outros paroquianos foram raptados, alguns foram libertados, outros não.” Todos eles são hoje recordados com saudade, mas também na certeza de que as suas vidas não foram em vão.

O Pe. Wenceslau Belem agradece a ajuda que a Fundação AIS tem dado à Igreja perseguida do seu país e deixou a certeza de que os cristãos do Burquina Fasso vão resistir à violência e ao terrorismo com a única arma possível: a oração e o espírito de paz “Obrigado aos benfeitores da Fundação AIS. Estamos convencidos de que o mal não terá a última palavra. Continuaremos com esperança a lutar contra o terrorismo com a nossa única ‘Kalashnikov’, a nossa arma invisível, mas muito eficaz: a oração.”

Obrigado aos benfeitores da Fundação AIS. Estamos convencidos de que o mal não terá a última palavra. Continuaremos com esperança a lutar contra o terrorismo com a nossa única ‘Kalashnikov’, a nossa arma invisível, mas muito eficaz: a oração.”

NOTÍCIAS

Notícias sobre o Burquina Fasso

Em nome da Igreja que sofre no Burquina Fasso, agradecemos toda a sua ajuda. Por favor, reze por estes homens, mulheres e crianças que carregam uma cruz tão dolorosa.

Conte com a gratidão destas pessoas que vão recomeçar a sua vida graças à sua ajuda. Muito obrigada.

Os donativos feitos à Fundação AIS beneficiam de dedução de IRS e IRC nos termos legais.
Poderá deduzir 0,5% à sua declaração de IRS para a Fundação AIS, sem qualquer custo.

fatima sidebar crop

Acenda uma vela

A CAPELA VIRTUAL da Fundação AIS, dedicada a Nossa Senhora de Fátima, é um lugar de oração.

Um lugar para apresentar as suas intenções a Deus através de Nossa Senhora, nossa Mãe.

Convidamos todos a rezar e a acender uma vela pelos Cristãos perseguidos, ou por uma intenção pessoal.

Subscreva a nossa newsletter

Mantenha-se actualizado sobre as notícias, projectos, testemunhos, eventos e campanhas de oração pelos Cristãos perseguidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

918 125 574

Multibanco

IBAN PT50 0269 0109 0020 0029 1608 8

Papa Francisco

“Convido-vos a todos, juntamente com a Fundação AIS, a fazer, por todo o mundo, uma obra de misericórdia.” 
PAPA FRANCISCO

© 2022 Fundação AIS | Todos os direitos reservados.