VATICANO: Papa Francisco pede que rezemos pelos mártires, que são os heróis do nosso tempo

No Vídeo do Papa para o mês de Março – que tem a colaboração da Fundação AIS – Francisco lembra a heroicidade e o testemunho dos mártires de hoje, que, diz, “são uma bênção para todos”. Na mensagem, o Santo Padre refere que eles “contagiam a Igreja com a sua coragem”, e recorda a dor de um homem, um refugiado que conheceu na ilha de Lesbos, e que viu a sua mulher ser degolada à sua frente apenas por usar um crucifixo.

No mês de Março, em que se assinala a Jornada dos Mártires Missionários, o Papa Francisco recorda precisamente os mártires do nosso tempo e pede que rezemos por eles pois, diz, “contagiam a Igreja com a sua coragem e o seu impulso missionário”.

O Santo Padre começa a mensagem-vídeo – que tem a colaboração da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre – por contar uma história que é “o reflexo da Igreja de hoje”. Uma história que conheceu ao visitar o campo de refugiados na ilha grega de Lesbos. “Um homem disse-me: ‘Padre, sou muçulmano. A minha mulher era cristã. Os terroristas chegaram ao nosso país, olharam-nos e perguntaram qual era a nossa religião. Viram a minha mulher com o crucifixo e disseram-lhe para o atirar ao chão. Ela não o fez e degolaram-na à minha frente.’”

Francisco não diz o nome do homem nem sequer a sua nacionalidade. Não importa. Apenas refere o mais importante. “Sei que ele não tinha rancor. Centrava-se no exemplo de amor da sua esposa, um amor a Cristo que a levou a aceitar e ser leal até à morte.”

MÁRTIRES, “UMA BÊNÇÃO PARA TODOS”

No Vídeo do Papa para o mês de Março, que foi divulgado oficialmente ontem, dia 27, o Santo Padre recorda que “sempre haverá mártires entre nós”, e diz, por paradoxal que possa parecer, que isso significa que “estamos no caminho certo”.  Na mensagem, Francisco acrescenta ainda que “há mais mártires nos dias de hoje do que no início do próprio cristianismo”, e que “a coragem” e o “testemunho” que demonstram, são “uma bênção para todos”. E pede que rezemos para que aqueles que “em várias partes do mundo arriscam a vida pelo Evangelho, contagiam a Igreja com a sua coragem e o seu impulso missionário”. As palavras do Papa são ilustradas com imagens de comunidades cristãs em perigo em várias partes do globo, e é dado o exemplo do primeiro servo de Deus do Paquistão, Akash Bashir, que morreu com 20 anos, em 2015, para evitar um atentado terrorista contra uma igreja cheia de fiéis, em Lahore, uma história que a Fundação AIS tem contado com muita frequência e que ilustra a ameaça em que vivem os cristãos nesse país.

É FUNDAMENTAL A LIBERDADE RELIGIOSA

Regina Lynch, presidente executiva internacional da Fundação AIS, instituição que colabora com esta edição do Vídeo do Papa, sublinha a importância desta mensagem do Santo Padre por recordar ao mundo a importância da defesa da liberdade religiosa como direito inalienável da Humanidade.

“É fundamental garantir o direito de praticar a fé como parte da dignidade de todos os seres humanos”, diz a responsável pela fundação pontifícia, acrescentando que, nesse sentido, a intenção de Francisco é “muito importante para encorajar a oração pelas vítimas de perseguição, bem como para defender aqueles que sofrem discriminação por causa da sua fé”. “Para além disso, temos de envolver os políticos na defesa dos direitos dos mais vulneráveis”, acrescentou ainda.

Também o padre jesuíta Frédéric Fornos, director internacional da Rede Mundial de Oração do Papa destaca a importância desta mensagem em que Francisco interpela todos os crentes a serem testemunhas vivas do Evangelho. Mesmo que, para isso, coloquem as suas vidas em risco.

Somos chamados a dar testemunho de Cristo com toda a nossa vida. Um mártir é uma testemunha de Cristo cuja existência é um testemunho vivo, isto é, encarna o Evangelho com o risco da própria vida, sem recorrer à violência.”

VÍDEO DO PAPA COM MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES

Todos os dias a Fundação AIS procura assinalar ao mundo situações de perseguição aos cristãos e de violação da liberdade religiosa. Basta acompanhar a página da instituição na Internet para se ter uma noção do que significa a violência por causa da fé. É assim todos os dias, é assim todos os anos. Em 2023, por exemplo, a Fundação AIS recolheu inúmeras denúncias de pessoas que foram assassinadas ou sequestradas por causa da sua fé em 40 países, com destaque para a Nigéria, onde ocorreu o maior número de assassinatos; o Paquistão, por causa da violência que se abateu sobre a localidade de Jaranwala, na Diocese de Faisalabad, onde igrejas e casas de cristãos foram atacadas em Agosto; e no Burquina Fasso, em que os católicos de Débé foram expulsos da sua aldeia, vítimas da intolerância crescente de grupos jihadistas em África. O Vídeo do Papa é uma iniciativa oficial de alcance global que visa divulgar as intenções de oração mensais do Santo Padre. É desenvolvido pela Rede Mundial de Oração do Papa, do Apostolado da Oração. Desde 2016, O Vídeo do Papa teve mais de 220 milhões de visualizações em todas as redes sociais do Vaticano, está traduzido em mais de 23 idiomas e tem cobertura da imprensa em 114 países.

Paulo Aido | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Relatório da Liberdade Religiosa

O relatório da Fundação AIS analisa a situação da liberdade religiosa em 196 países. É um dos quatro relatórios sobre a situação da liberdade religiosa a nível mundial, sendo o único relatório não governamental na Europa que tem em conta a doutrina social católica.

196 PAÍSES

918 125 574

Multibanco

IBAN PT50 0269 0109 0020 0029 1608 8

Papa Francisco

“Convido-vos a todos, juntamente com a Fundação AIS, a fazer, por todo o mundo, uma obra de misericórdia.” 
PAPA FRANCISCO

© 2022 Fundação AIS | Todos os direitos reservados.