IRAQUE: Comunidade cristã “em choque” e de luto após incêndio trágico numa festa de casamento

O momento de alegria acabou em tragédia. Um incêndio na quarta-feira, 27 de Setembro, numa festa de casamento, provocou a morte a mais de 100 pessoas e causou cerca de 150 feridos em Qaraqosh, no Curdistão iraquiano. O Arcebispo de Erbil fala em “profundo choque” numa mensagem enviada para a Fundação AIS.

Um incêndio deflagrou no salão Al Haitham, nos arredores de Qaraqosh, na Planície de Nínive, onde se realizava na noite de 26 de Setembro a festa de casamento de um casal sírio-católico. E a festa acabou em pesadelo. Mais de uma centena de mortos e cerca de 150 feridos é o balanço desta tragédia que enlutou a comunidade cristã.

D. Bashar Warda, Arcebispo de Erbil, emitiu uma declaração – cuja cópia foi enviada à Fundação AIS – descrevendo o ambiente de profunda tristeza que se apoderou de todos.

As palavras não podem descrever adequadamente a dor daqueles que estão a levar os seus entes queridos para os seus últimos lugares de descanso na sua antiga terra. O que era para ser um momento de alegria transformou-se agora num momento de luto para toda a comunidade, que está em profundo choque.”

Os funerais irão decorrer ainda durante os próximos dias. “Patriarcas, bispos e padres de todas as confissões”, têm estado em Qaraqosh “para enterrar” as vítimas deste incêndio, disse ainda o Arcebispo de Erbil. De acordo com o prelado, esta tragédia uniu o povo do Iraque não só nas várias comunidades iraquianas cristãs mas também muçulmanas. Os próprios governos do Iraque e do Curdistão decretaram três dias de luto.

Unidos em oração

O pavilhão onde decorreu a festa de casamento terá sido construído com painéis pré-fabricados “altamente inflamáveis e contrários às normas de segurança”, o que poderá explicar o número tão elevado de vítimas.

Embora a causa do incêndio ainda não tenha sido oficialmente confirmada, os relatórios preliminares indicam que o tecto do pavilhão se incendiou depois de ter sido lançado fogo de artifício.

Na mensagem enviada para a Fundação AIS, o Arcebispo de Erbil pede as orações de todos pelas almas das vítimas mortais e pelos feridos graves. “Peço-vos que rezem pela comunidade siríaca e pelas suas famílias no Iraque e na diáspora”, disse ainda D. Bashar Warda.

Os cristãos da Planície de Nínive, no Iraque, têm sofrido muito nos últimos tempos, especialmente após a brutal invasão da região pelo Daesh, o grupo terrorista Estado Islâmico, em Agosto de 2014. Desde então, a Fundação AIS tem estado particularmente activa no apoio a esta comunidade religiosa, ajudando a criar condições para o regresso das famílias às suas casas e aldeias.

Paulo Aido | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Relatório da Liberdade Religiosa

O Iraque permanece numa encruzilhada e as minorias religiosas continuam vulneráveis. Com uma cidadania igual para todos os Iraquianos ainda por implementar, a plena liberdade religiosa não está garantida. As perspectivas de gozo da liberdade religiosa e muitos outros direitos humanos continuam a depender da estabilidade política e de segurança do país. Ambos parecem duvidosos e devem permanecer sob observação.

IRAQUE

918 125 574

Multibanco

IBAN PT50 0269 0109 0020 0029 1608 8

Papa Francisco

“Convido-vos a todos, juntamente com a Fundação AIS, a fazer, por todo o mundo, uma obra de misericórdia.” 
PAPA FRANCISCO

© 2022 Fundação AIS | Todos os direitos reservados.