UCRÂNIA: Ataque a armazém da Caritas em Lviv agrava situação humanitária com o Inverno à porta

O ataque com drones a um armazém da Cáritas na cidade de Lviv, causou a destruição,  há uma semana, de cerca de 300 toneladas de bens de primeira necessidade. Em mensagem enviada para a Fundação AIS Internacional, o Bispo auxiliar de Lviv, classificou este incidente provocado pelas forças russas como “um ataque aos mais pobres e necessitados”.

Um ataque russo, com drones, durante a madrugada de terça-feira, dia 19 de Setembro, na zona industrial da cidade de Lviv, causou a destruição de cerca de 300 toneladas de ajuda humanitária de primeira necessidade que estava guardada num armazém da “Caritas-Spes” ucraniana. O armazém ficou totalmente queimado inutilizando tudo o que estava no seu interior e que se destinava a centenas de famílias mais vulneráveis. 

Embalagens com alimentos, ‘kits’ de higiene, paletes de roupa, geradores e outros equipamentos ficaram destruídos. Face a este cenário desolador, o bispo auxiliar de Lviv, D. Edward Kawa, sublinhou, em mensagem enviada para a Fundação AIS Internacional, que se tratou de “um ataque aos mais pobres e necessitados”. “Toda a ajuda humanitária que ali estava armazenada deveria ter sido enviada para Kharkiv e Pavlograd nos próximos dias”, acrescentou o prelado.

Além dos alimentos, calçado e vestuário de Inverno, o ataque russo destruiu também mais de uma centena de geradores de emergência necessários para fazer face a avarias e falhas nos sistemas de eletricidade e aquecimento.

D. Edward Kawa, bispo auxiliar da Arquidiocese de Lviv

“O Inverno está a chegar…”

No conjunto, todo o equipamento destruído, e que corresponde sensivelmente ao carregamento de 15 camiões TIR, tinha sido enviado pelo Vaticano e pela organização polaca Packages for Ukraine. A única notícia consoladora, segundo D. Edward Kawa, é que quatro camiões tinham saído do armazém dois dias antes com destino a Zaporizhzhia, tendo escapado à força destruidora dos drones russos. Na mensagem enviada para a AIS, o bispo auxiliar de Lviv pede a todos os benfeitores da Ajuda à Igreja que Sofre que não esqueçam da Ucrânia.

“O Inverno está a chegar e a guerra ainda não acabou. Deus vos abençoe”, disse o prelado. Desde que a invasão da Ucrânia teve início, a 24 de Fevereiro de 2022, a Fundação AIS já apoiou a Igreja Católica local com mais de 350 projectos, num valor que ultrapassa os 15 milhões de euros. Os projectos de ajuda humanitária da fundação pontifícia têm proporcionado ajuda essencial aos mais necessitados, bem como tem permitido aos sacerdotes, às religiosas e aos leigos atender às necessidades espirituais e materiais dos fiéis.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Relatório da Liberdade Religiosa

O maior desafio à liberdade religiosa na Ucrânia é a situação nos territórios ocupados. Na área controlada pelas autoridades de Kiev, os casos de discriminação religiosa são, até à data, sobretudo incidentes perpetrados contra indivíduos, e não violações sistémicas da liberdade religiosa.
Tragicamente, a guerra parece ter-se enraizado cada vez mais. As violações dos direitos humanos, incluindo as violações da liberdade religiosa, não diminuirão. As perspectivas continuam a ser negativas.

UCRÂNIA

918 125 574

Multibanco

IBAN PT50 0269 0109 0020 0029 1608 8

Papa Francisco

“Convido-vos a todos, juntamente com a Fundação AIS, a fazer, por todo o mundo, uma obra de misericórdia.” 
PAPA FRANCISCO

© 2022 Fundação AIS | Todos os direitos reservados.