Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Sementes de Esperança

Sementes de Esperança: Maio de 2020

1 maio 2020
Sementes de Esperança: Maio de 2020
SRI LANKA:
REAGIR COM FÉ E CORAGEM

 Um atentado jihadista atingiu o Sri Lanka no Domingo de Páscoa de 2019. Um país maioritariamente budista onde os Cristãos fazem a ponte entre as comunidades.

Superfície 65.610 km2
População 20.811.000 habitantes
Religiões Budistas: 68,4 % | Hindus: 13,2 % | Cristãos: 9,1 % | Muçulmanos: 8,6 % | Outras: 0,7 %
Língua oficial Cingalês, tâmil, inglês


“Devemos reagir com fé e coragem”, afirmou o D. Devsritha Valence Mendis, Bispo de Chilaw, na região oeste do país, algumas horas depois do drama que abalou o Sri Lanka. No Domingo, dia 21 de Abril de 2019, Domingo de Páscoa, Domingo da Ressurreição, os terroristas fizeram explodir bombas em três igrejas, durante a Santa Missa, e em três hotéis de luxo no Sri Lanka. “Todo o país está em estado de choque, surpreendido por este ataque brutal contra inocentes. É totalmente impossível de compreender ou de explicar. É a violência no seu estado puro: É uma tragédia” confiou-nos D. Mendis. Uma tragédia que fez 257 mortos e mais de 500 feridos – e que poderia ainda ter sido pior, uma vez que foram encontrados explosivos no aeroporto e na estação de camionetas de Colombo. Uma tragédia como nunca tinha acontecido neste país, mesmo durante a guerra civil que nos assolou durante mais de 25 anos (1983-2009) e que provocou 70.000 mortos e o dobro de desaparecidos.


As autoridades declararam o Estado de Emergência, as redes sociais foram cortadas. Por razões de segurança, o Cardeal Malcolm Ranjith, Arcebispo de Colombo, convidou as igrejas a suspender os seus ofícios litúrgicos a 28 de Abril e a 5 de Maio, e a Missa de domingo foi celebrada pelo cardeal e seguida pela televisão. Foi lida uma mensagem do Papa Francisco, convidando à oração pelos defuntos, pelos feridos e “para que os corações endurecidos pelo ódio, se possam submeter à vontade de Deus”. As igrejas só reabriram no domingo, 12 de Maio. As escolas geridas pela Igreja Católica tiveram de esperar até 14 de Maio.

Oração Para que Deus Misericordioso transforme os corações de pedra dos terroristas em corações de carne, nós Te pedimos Senhor!

RECONCILIAÇÃO?
Neste país maioritariamente budista, os Cristãos, que representam cerca de 9,1% da população, fazem a ponte entre as comunidades cingalesa e tamil. E, no entanto, foi o santuário de Santo António de Pádua em Colombo, a Igreja de São Sebastião em Negombo, nos arredores da capital, e a Igreja Evangélica de Sião em Batticaloa, no leste do país que foram visados. Os lugares de culto cristãos, cheios de fiéis, durante a maior festa cristã. Os terroristas atacaram claramente o processo de reconciliação, longo e delicado, que o país tem conduzido desde 2009, atacando desta forma os seus principais actores, bem como o principal motor da economia local, o turismo.



Num país confrontado com o crescimento de um extremismo budista que ataca principalmente os Cristãos – as autoridades suspeitaram rapidamente que a organização Thowheeth Jama’ath (NTJ), um grupo islamita local pouco conhecido – para além de alguns actos de vandalismo – estivesse na origem destes atentados. Mas o Daesh reividicou os ataques a 23 de Abril, difundindo um vídeo de sete alegados kamikazes.
As autoridades decidiram então reagir fortemente e expulsaram do país 600 estrangeiros, dos quais 200 eram pregadores muçulmanos. O presidente Sirisema proibiu o nicabe, o véu islâmico que cobre o rosto. Foi solicitado aos responsáveis das mesquitas para daí em diante enviarem as suas pregações às autoridades. Esta reacção bem acolhida, por enérgica que seja, não permite que se oculte a inacção das autoridades, avisadas pelos serviços de informação, de que os ataques poderiam vir a acontecer. Uma inacção que o Cardeal Ranjith não deixou de denunciar corajosamente; uma inacção agravada pelo facto de que o sul e sudeste da Ásia se tornaram no novo terreno de actividade do Islamismo: 20 pessoas foram mortas no duplo atentado contra a catedral de Jolo, nas Filipinas, em Janeiro de 2019; outras 13 no ataque a três igrejas na cidade de Surubaya, na Indonésia, em Maio de 2018.


Ao atacar os Cristãos do Sri Lanka desta forma, com um atentado desta amplitude durante a grande festa da Páscoa, os terroristas parecem querer demonstrar que a “queda do califado” do Daesh na Síria, anunciado pelas forças árabes-curdas, não significa o fim do perigo islâmico. E este parece ainda mais preocupante, uma vez que o Sri Lanka poderá voltar a cair na mesma espiral de violência.

Oração Para que o Espírito Santo inspire as religiões no Sri Lanka a continuar a trabalhar em prol da paz e da reconciliação, nós Te pedimos Senhor!

UMA HERANÇA AMARGA
Durante a sua visita ao Sri Lanka em 2015, o Papa Francisco apelou ao país que ultrapassasse “a herança amarga da injustiça, das hostilidades e da desconfiança deixada pelo conflito” entre os tigres tamil e a maioria cingalesa. A seguir canonizou o “apóstolo do Sri Lanka”, Joseph Vaz, beatificado por João Paulo II durante a sua visita ao país em 1995 e que é, segundo o Santo Padre, um “exemplo de caridade cristã e de respeito por toda a pessoa, sem distinção de etnia ou de religião”.

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Proposta de Oração

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais