Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

PORTUGAL: “Dia do Benfeitor” da Fundação AIS é celebrado pela primeira vez na festa do Sagrado Coração de Jesus

10 junho 2021
PORTUGAL: “Dia do Benfeitor” da Fundação AIS é celebrado pela primeira vez na festa do Sagrado Coração de Jesus
A Fundação AIS celebra amanhã, sexta-feira, 11 de Junho, e pela primeira vez, o Dia do Benfeitor. É uma iniciativa que une todos os secretariados da instituição espalhados pelo mundo e que será celebrado, a partir de agora, na festa do Sagrado Coração de Jesus. Em Portugal, à semelhança dos outros países onde está presente a Ajuda à Igreja que Sofre, vai ser celebrada uma Santa Missa pelas intenções de todos os benfeitores que são a alma desta obra de caridade e de misericórdia fundada em 1947.

“Embora muitos de nossos benfeitores prefiram permanecer invisíveis e de forma alguma esperem tais agradecimentos, é muito importante para nós e nossos irmãos e irmãs sofredores, expressarmos pessoalmente nossa gratidão a todos eles”, diz o Padre Martin Barta, Assistente Eclesiástico Internacional da Fundação AIS, numa carta enviada a todos os secretariados. “Escolhemos a festa do Sagrado Coração de Jesus para este Dia do Benfeitor, pois a sua generosidade tem a sua fonte e força na imitação do Amor Misericordioso do Coração de Deus.”

A importância da escolha deste dia é também sublinhada pelo Padre Jacinto Farias, o Assistente Eclesiástico da Fundação AIS em Portugal. “A solenidade do Sagrado Coração de Jesus já é, de alguns anos a esta parte, o dia de oração pela santificação dos sacerdotes, os quais têm o Santo Cura de Ars como padroeiro. A combinação destes dois temas – Coração de Jesus e santificação dos sacerdotes - enriquece enormemente a feliz escolha desta Solenidade para o Dia do Benfeitor da Ajuda à Igreja que Sofre.”

O papel dos benfeitores para a existência da Fundação AIS como entidade que promove a solidariedade da Igreja junto das comunidades cristãs mais perseguidas ou mais pobres é inequívoca. Só no ano passado, a instituição foi apoiada por mais de 365 mil benfeitores individuais em 23 países. Só a generosidade deste “batalhão” de homens e mulheres permitiria alimentar todos os projectos da Fundação AIS em 138 países. Sinal também do trabalho desenvolvido pela Ajuda à Igreja que Sofre, o número de amigos e benfeitores da instituição aumentou 8% em 2020 em relação ao ano de 2019, e isto apesar da pandemia de coronavírus. Mais benfeitores significa sempre mais projectos e mais ajuda concreta para as comunidades cristãs que tanto têm sofrido nos últimos anos em todo o mundo mas muito especialmente no Médio Oriente, Ásia e África.

O Padre Jacinto Farias recorda como a obra evoluiu desde os primeiros anos até à actualidade. “Esta obra surgiu para ajudar os sacerdotes da Europa Oriental durante e após a segunda guerra mundial. Depois foi evoluindo, ainda na vida do fundador, o Padre Werenfried, para aquilo que é hoje, ou seja, uma fundação que tem como missão a catolicidade da caridade: ajudar as comunidades cristãs que sofrem por não terem os meios necessários para realizarem a sua missão, a de anunciar o Evangelho, segundo a ordem de Jesus dada aos apóstolos: “Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho; fazei discípulos de todos os povos. Quem acreditar e for baptizado será salvo; quem não acreditar será condenado” (cf. Mc 16; Mt 28). A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre tem como missão prioritária o apoio pastoral à evangelização e tudo o que empreende é neste sentido de criar condições para que o Evangelho seja anunciado, vivido, testemunhado.”

Também Catarina Martins de Bettencourt sublinha a importância dos benfeitores na vida da Fundação AIS. A directora do secretariado português diz que “sem os benfeitores não haveria a Ajuda à Igreja que Sofre, e todos eles são a alma da instituição e estão no centro da nossa atenção”. A responsável lembra mesmo o papel vital dos benfeitores que, “com a sua infinita generosidade, permitem a sobrevivência de tantas famílias, de tantas comunidades cristãs vítimas de perseguição, do terrorismo, da intolerância religiosa”. “Graças aos nossos queridos benfeitores, a Fundação AIS é hoje seguramente uma das mais significativas instituições de caridade da Igreja em todo o mundo”, diz ainda.

Para assinalar o Dia do Benfeitor será celebrada em Lisboa, na sede da Fundação AIS, uma missa na Capela da instituição, em Telheiras. Por causa ainda das restrições impostas pela pandemia do coronavírus e para permitir que todos os benfeitores que vivem fora da região de Lisboa possam também assistir à Santa Missa, haverá uma transmissão em directo, via Zoom e no canal do Facebook da Fundação AIS.



PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais