Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

PAQUISTÃO: Cristãos discriminados na distribuição de ajuda de emergência por causa do Covid19

20 maio 2020
PAQUISTÃO: Cristãos discriminados na distribuição de ajuda de emergência por causa do Covid19
É mais uma denúncia de discriminação da comunidade cristã em relação à distribuição de ajuda às populações por causa da pandemia do Coronavírus. Depois de Joel Amir Sahotra, antigo membro do Parlamento Provincial do Punjab, ter referido em mensagem enviada para Lisboa a existência de casos de marginalização de cristãos, agora é uma dirigente da Comissão Nacional de Justiça e Paz (CNJP) a erguer também a sua voz apontando situações em que pessoas pertencentes à comunidade cristã não estão a ser bem-vindos na distribuição, por exemplo, de alimentos.

Segundo Cecil Shane Chaudhry, director-executivo da CNJP do Paquistão, foram detectados casos em que organizações religiosas e mesquitas discriminaram cristãos na distribuição de alimentos e também de material de emergência relacionado com o Covid19.

Aos cristãos de uma aldeia perto de Lahore, em Raiwind Road, foi-lhes negada a distribuição de comida, assim como em Sandha Kalan, no distrito de Kasur, no Punjab. Neste último caso, segundo Chaudhry, “umas cem famílias foram excluídas” da ajuda alimentar por serem não-muçulmanos.

Falando com o secretariado britânico da Fundação AIS, Chaudhry salientou que os cristãos e membros de outras minorias religiosas fazem parte dos sectores mais vulneráveis da população paquistanesa, por desempenharam normalmente tarefas mais duras e mal remuneradas, e por precisarem de trabalhar todos os dias para assegurarem a própria sobrevivência.

Para estas pessoas, o confinamento como forma de evitar o contágio pelo coronavírus revela-se uma opção dramática. Sem o trabalho diário, muitas vezes na limpeza de canalizações e esgotos, é quase impossível sustentar as suas famílias.

Por isso, e para não terem de optar entre um eventual contágio e doença ou a fome, é muito importante que estes trabalhadores possam estar suficientemente protegidos. O dirigente da Comissão Nacional de Justiça e Paz afirmou que tem alertado o governo paquistanês para a distribuição atempada a todos os trabalhadores de máscaras e luvas de protecção.

O director-executivo da Comissão Nacional de Justiça e Paz lembrou que o coronavírus “não conhece fronteiras”. “Todas as pessoas em todo o mundo estão em perigo, independentemente da sua religião. Como se pode negar comida e outras ajudas de emergência a cristãos e membros de outras minorias, especialmente quando eles estão entre os que mais sofrem?”

Já no final de Abril, a Fundação AIS referia a discriminação de elementos da comunidade cristã e de outras minorias religiosas no Paquistão na distribuição de ajuda por causa da pandemia do coronavírus.

Em mensagem enviada para Lisboa, Joel Amir Sahotra, antigo membro do Parlamento Provincial do Punjab, relatou casos de marginalização em algumas cidades desde que foi decretado o estado de emergência no país.

“Estamos a viver os momentos mais difíceis das nossas vidas devido ao coronavírus, que se está a espalhar dia a dia, momento a momento”, afirmou Sahotra. Recordando que o Paquistão é “um país do terceiro mundo com falta de recursos médicos”, este ex-parlamentar denunciou casos concretos de discriminação assistencial com base no preconceito religioso.

“Estamos a observar a discriminação religiosa contra a comunidade cristã e hindu”, disse Joel Amir na mensagem vídeo enviada para Lisboa, identificando uma organização que estaria a discriminar os cristãos na distribuição de produtos alimentares. “Por exemplo, existe uma organização, Saylani, que está a fornecer alimentos e bens essenciais mas lamentavelmente não está preparada para distribuir os mesmos bens às minorias religiosas não muçulmanas no Paquistão. Isto acontece principalmente em Karachi, a maior cidade do Paquistão, mas também estão a fazer o mesmo nas cidades mais pequenas do Paquistão.”



Para este dirigente, os tempos de pandemia estão a sublinhar ainda mais a situação difícil em que se encontra a comunidade cristã, que descreve como sendo “muito pequena” e também “a mais marginalizada no Paquistão”.

A Fundação AIS lançou, a nível internacional, um programa para ajuda de emergência de 5 milhões de euros para apoiar o trabalho das igrejas e das comunidades cristãs em todo o mundo no combate à pandemia do coronavírus.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais