Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

MOÇAMBIQUE: Maria preparou-se durante sete anos para ser baptizada em Matibane

26 novembro 2021
MOÇAMBIQUE: Maria preparou-se durante sete anos para ser baptizada em Matibane
Nascer de novo aos 83 anos

Dificilmente não se repararia nela. Era uma mulher pouco alta, vestida de branco como uma noiva, um sorriso enorme que mostrava a falta de alguns dentes e uma simpatia contagiante. Maria foi baptizada num sábado cheio de sol na paróquia de São José de Matibane, na Diocese de Nacala, em Moçambique. Maria Noviricana tem 83 anos. Ou talvez um pouco mais, ninguém sabe ao certo. Nem ela. Mas, naquele sábado, nasceu de novo.

O mais difícil foi mesmo descobrir a sua idade. Maria Noviricana não sabia dizer qual era a sua idade. Ao fim de alguma hesitação disse 63 anos. Seria impossível. As rugas do rosto, os brancos no cabelo indicavam outros pergaminhos, outra idade. À falta de memória, sorria e fechava os olhos. Na verdade, não sabia a idade… Maria foi uma das protagonistas da festa de Baptismo que encheu a bonita Igreja de São José, na paróquia de Matibane, na Diocese de Nacala, num sábado cheio de sol e calor. Vieram pessoas de todos os povoados da região, engalanados com os melhores fatos, a melhor roupa, os sapatos a brilhar. É sempre inglório querer ter os sapatos a brilhar numa zona onde as estradas são normalmente caminhos de terra batida. Sempre que passa um carro, uma mota ou uma bicicleta, levantam-se nuvens de pó que mostram também que o tempo vai seco, muito seco. Não chove há demasiadas semanas em Nacala. Por causa disso, os poços estão secos, as torneiras estão vazias e toda a água é demasiado preciosa.

Igreja, farol de esperança

Tão preciosa como a expectativa de Maria com o aproximar das horas, do momento em que entrou na Igreja para uma das maiores aventuras da sua vida. Maria vestiu-se de branco. Demorou, seguramente, algum tempo a vestir-se. E foi de branco, como uma noiva, que entrou na Igreja. Durante bastante tempo Maria Noviricana preparou-se para o baptizado. A sua história é também a história do trabalho amorável da Igreja em terras africanas. A paciência e a dedicação dos padres e das irmãs, dos religiosos e dos catequistas não deixa ninguém indiferente. Apesar das distâncias por vezes gigantescas entre aldeias, entre povoados, apesar dos caminhos tortuosos cheios de buracos, de valetas, de perigos, apesar da falta de meios, de gente, a Igreja de Moçambique é um farol de esperança para todo o mundo. Matibane é disso um exemplo. Por ali há a Igreja de São José, imponente com as suas paredes envidraçadas que colocam os fiéis no meio do verde, como se o próprio templo estivesse edificado entre as árvores. Naquela igreja de paredes de vidro, a missa é sempre campal, mas há também por ali o seminário propedêutico, o instituto politécnico, um centro de saúde e até um mercado. Praticamente tudo fruto do trabalho da Igreja que transformou aquele pedaço de Moçambique num verdadeiro oásis. Um trabalho que conta também com o apoio da Fundação AIS.

Uma mensagem para o mundo

Maria estava feliz quando entrou na Igreja no sábado, dia 20 de Novembro, e estava ainda mais feliz quando saiu, já baptizada. Para se descobrir a verdadeira idade de Maria foi preciso perguntar ao filho, que assistiu, tal como dezenas de outras pessoas, à cerimónia de baptismo de muitas crianças e jovens da paróquia de São José de Metibane. O filho, não escondendo o embaraço, respondeu que ela deverá ter 83 anos, pois julga que terá nascido em 1938. Mas não tem a certeza. Nunca soube mesmo a idade da mãe, apenas pode garantir que ela teve 6 filhos e que agora havia metido da cabeça que queria ser baptizada. Maria garante que passou sete anos a preparar-se para aquele momento que será, com toda a certeza, dos mais importantes da sua vida. Sem falar uma palavra em português, Maria explicou-se através de um jovem que colabora com a secretaria da paróquia. Foi ele que traduziu tudo, palavra por palavra, sorriso por sorriso. “Hoje recebi o baptismo em nome do Senhor Jesus Cristo. Tudo o que eu fazia de mal já deixei. Estou muito feliz. Estou feliz porque passei sete anos a frequentar a catequese, a aprender a ser candidata e hoje concretizei o meu sonho… portanto, estou muito feliz e vou caminhar como pede a Igreja.” Maria demorou sete anos a descobrir que nunca é tarde para se ser feliz. E demorou apenas uns instantes a perceber que estava a falar para um jornalista e que a sua história iria ser contada ao mundo. E aceitou dizer uma palavra para esse mundo que fica bem distante da sua aldeia… “A mensagem que eu quero deixar para os outros fiéis, para as pessoas dos outros países é que vamos continuar a rezar, vamos continuar a amar Nosso Senhor Jesus Cristo com tudo o que temos para oferecer-lhe, tal como Ele se dá a nós…” Maria foi baptizada num sábado cheio de sol na paróquia de São José de Matibane na Diocese de Nacala, em Moçambique. Maria Noviricana tem 83 anos. Ou talvez um pouco mais, ninguém sabe ao certo. Mas, isso pouco importa pois, naquele sábado, ela nasceu de novo…

Jornalista Paulo Aido em Moçambique | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

REFUGIADOS MOÇAMBIQUE



Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais