Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Campanhas

MÉDIO ORIENTE: Via Sacra sem fim...

Apoiar Campanha
30 setembro 2020
Guerra, perseguição, pobreza extrema...

Os Cristãos do Médio Oriente têm sido provados na fé perante situações extremas. O futuro, nestas terras bíblicas, é cada vez mais difícil. O Cristianismo no Médio Oriente está em risco de desaparecer. Os últimos anos têm acentuado os sinais de perigo. Estás nas nossas mãos evitar esta tragédia.

A Fundação AIS está presente no Líbano, Síria e Iraque através de todos os padres e irmãs que nunca abandonaram o Povo de Deus.

AS FAMÍLIAS CRISTÃS CONTINUAM A PRECISAR URGENTEMENTE DA NOSSA AJUDA!

Apoie esta campanha »
O Líbano enfrenta uma das mais profundas crises económicas da sua história, o que se reflecte também na vizinha Síria, ainda flagelada com as consequências da guerra e das sanções impostas ao regime de Damasco.

Por sua vez, o Iraque não consegue ainda a estabilidade necessária para que as famílias cristãs possam regressar a suas casas na Planície de Nínive de onde foram expulsas pelos jihadistas no Verão de 2014.

A Fundação AIS está profundamente empenhada no auxílio à Igreja para que o Médio Oriente não se esvazie da presença dos cristãos. Os portugueses são chamados a ajudar a Igreja que Sofre nestes três países, apoiando as famílias que lutam pela sobrevivência no dia-a-dia.

> Isso significa, por exemplo, a distribuição de refeições quentes no Líbano e a reconstrução de um jardim-de-infância das irmãs do Convento de Santa Oraha, em Batnaya, no Iraque.

> São vários os projectos que precisam da solidariedade dos benfeitores e amigos da Fundação AIS em Portugal. Solidariedade que pode materializar-se na compra de sacos de cimento para a reabilitação do jardim-de infância em Batnaya, destruído pelas bombas assassinas dos jihadistas do Daesh, ou no apoio às famílias cristãs em Homs, Damasco, Lataquia e Alepo, na Síria.

O Líbano, além da ajuda alimentar para as famílias que caíram na pobreza mais absoluta com a crise brutal do sistema financeiro que está a abalar o país, a Fundação AIS pretende ainda apoiar a reconstruir alguns dos edifícios da Igreja que ficaram destruídos ou profundamente danificados com a explosão que abalou o porto de Beirute no dia 4 de Agosto. É o caso, por exemplo, do Convento Hospital das Irmãs do Rosário. Também aqui, a solidariedade dos portugueses pode materializar-se na compra de tijolos, sacos de cimento ou alimentos.









A ajuda às famílias cristãs do Médio Oriente é essencial!
No Líbano, na Síria e no Iraque, as famílias cristãs lutam todos os dias pela sobrevivência. Por mais pequena que possa ser a nossa ajuda, fará toda a diferença para quem perdeu tudo o que tinha, para quem procura já comida nos caixotes do lixo, como acontece no Líbano, ou para quem ainda desespera sem saber quando pode voltar a casa depois da tragédia que foi a guerra e a violência jihadista na Síria ou no Iraque.

AS GUERRAS CEIFARAM MUITAS VIDAS INOCENTES, DESTRUÍRAM A ECONOMIA DESTES PAÍSES, MAS TAMBÉM CRIARAM LAÇOS FORTES DE SOLIDARIEDADE!

OS CRISTÃOS DO MÉDIO ORIENTE PRECISAM DE SI!

Poderá haver paz no Médio Oriente? Muitos não acreditam. Mas há motivos de esperança.  Momentos de cessar fogo, de reconstrução, de ajuda. Estamos numa altura em que as feridas cicratizam e a esperança germina.

D. Warda, Bispo  do Iraque, resume desta forma: “Somos uma Igreja de mártires, mas após todo o martírio vem a ressurreição.”  A sua ajuda é fundamental  para a sobrevivência e permanência  dos Cristãos no Líbano, Síria e Iraque. Podem contar consigo?

Apoie esta campanha »

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.
Catálogo de Natal Fundação AIS

RELATÓRIO MÉDIO ORIENTE »

 

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais